Tô sumida

Os dias passaram, quando vi se tornaram semanas e meses! Pisquei o olho e lá se foram três meses. Logo quando pensei que estava entrando em uma rotina, que estava finalmente conseguindo me (re) organizar. Ledo engano. A vida de dona de casa com filhos tem dessas pegadinhas. Quando as coisas parecem fluir, entrar em sintonia e ordem vem a vida, a rotina, os filhos e muda tudo de novo.

Me gabei por ter um bebê que dormia a "noite toda" - das 21.30 às 5h - e sabe o que aconteceu? Ele começou a acordar muitas e muitas vezes. Dentes, pesadelos, gripes e resfriados. Resultado? Eu, cansada, com sono, sem blog, sem tempo, sem livros e etc...

Nessa minha curta experiência com a maternidade chego a conclusão de que tudo são fases. E já escrevi sobre elas aqui óh. Boas, tranquilas, desafiadoras e outras não tão boas e tranquilas assim. Fases que te viram do avesso e quando tu aprende a lidar com elas, adivinha? Muda tudo outra vez (risos e gargalhadas). Essa é a graça da maternidade/paternidade. É a graça da vida. Você nunca sabe o que vem a seguir.

Durante esses meses off pensei muito nessa questão e no que eu deveria aprender com isso. Acredito que tudo serve de lição mas nem sempre estamos conectados para entender ou enxergar isso com clareza. E sabe qual foi o aprendizado? Que a ordem e a desordem fazem parte das nossas vidas. Precisamos aceitar isso e aprender a lidar com essas fases.

Muitas vezes a desordem e o caos externo é um reflexo do que acontece no nosso interior. Por sua vez, muitas vezes a desordem e o caos surgem para dar lugar a uma nova ideia, ponto de vista, olhar ou trazer a tona aspectos que precisam ser mudados, trabalhados ou aceitos. E talvez o mais difícil e importante, aceitar que muitas vezes não temos controle sobre determinadas situações, principalmente no que se refere a terceiros. É preciso aceitar, confiar e acredita que dias melhores virão. E eles hão de vir e se tudo der certo, farão de ti uma pessoa melhor. 


Obrigada pela visita!

Postar um comentário