Como foi o seu dia?

Todo dia meu marido chega em casa e me pergunta se está tudo bem. Normalmente quando ele chega em casa está tudo bem, então a minha resposta naturalmente é tudo. Depois ele me pergunta como foi o meu dia, desejando saber como as crianças se comportaram. Então faço uma breve pausa e lembro de todas as coisas que aconteceram. Há dias em que tudo transcorre na mais mesma perfeita harmonia e ordem. Não há choros, birras, gritos, apenas risadas, momentos divertidos, carinho e brincadeiras. Há outros dias porém que acontece tudo e isso e mais um pouco. Então eu fico tentando encontrar palavras para descrever as emoções que senti naquele longo dia em que os dois resolveram dormir no mesmo horário, querer colo na mesma hora e me vi com um no colo e outro no carrinho embalando a ambos e cantando pintinho amarelinho. Ou então aquele momento em que na hora de almoçar o mais novo acorda e quando me dou conta estou dando leite para um com uma mão enquanto tento comer e dar comida para o outro, tudo ao mesmo tempo. Lembro também daquela hora onde tive que me desdobrar em três para dar atenção para o mais velho, o mais novo e o cachorro mantendo sempre um sorriso nos lábios e uma calma aparentemente inabalável.

Houve aquele momento do dia também que era cachorro latindo, criança chorando onde eu só fechava os olhos respirando fundo e desejando me trancar no banheiro com fones de ouvido durante um minuto para conseguir manter a calma, retomar a sanidade e começar tudo outra vez. E se não bastasse esse tenso momento chegou a noite e a hora de dar banho nos dois e tentar tomar banho também. Jantar e finalmente coloca-los para dormir. O Ben queria colo e atenção. O Vi queria peito e dormir. As horas passaram e de repente a melhor solução para aquele momento de stress foi ficar com dois praticamente deitados em cima de mim. Enfim dormiram. Mas já era nove horas e estava tão cansada que a louça do jantar, o chão da cozinha e os brinquedos espalhados pela sala ficaram por ali mesmo. Para o dia seguinte.
 
Acontece que nesse mesmo dia houve aquele momento em que enquanto estava sentada no chão observando os meus filhos fui invadida por uma felicidade sem tamanho por simplesmente estar ali presente. Houve outro instante onde me senti profundamente grata por vê-los se desenvolverem. Teve ainda a hora que fiz cosquinhas na barriga deles e tive vontade de enche-los de beijo e abraço devido ao amor que senti explodir dentro de mim. E tudo o que desejei naquele momento foi nunca me esquecer daqueles sorrisos e daquele sentimento. Houve também aquele momento gostoso em que as nossas gargalhadas se misturaram e os nossos olhares se cruzaram. Sem falar na alegria que senti quando o mais velho quis dar comida para o mais novo ou parar ao lado dele, pegar na sua mão e dar-lhe um beijo tímido e espontâneo. Ou então aquele momento quando finalmente dormiram e tudo o que eu queria era permanecer com eles nos meus braços sentido aquele cheirinho de bebê. Esses são momentos de pura felicidade e satisfação.

Então, depois de lembrar de tudo o que aconteceu no meu dia, olho para ele, solto um longo suspiro e digo:
- Foi bom. Foi tenso e intenso com fortes emoções, mas ainda sim foi um dia muito bom.

Obrigada pela visita!

Postar um comentário