A vida acontece




Faz tempo que não escrevo por aqui. É que desde que me tornei mãe à maternidade me consome por completo. E tempo, ou melhor, a falta dele, anda escasso pela minha vida. A gente não sabe o quanto vida de mãe é complicado até se tornar uma. Não é a toa que dizem por aí que “ser mãe é enlouquecer no paraíso”. A última vez que assisti a um filme no cinema estava grávida do meu primeiro filho, isso há quase dois anos! Desde então, o catálogo do Netflix vem sendo o meu companheiro para aqueles momentos em que o baby dorme e então consigo ter algumas horinhas para mim.

Essa semana assisti ao filme “A vida acontece”, dirigido por Kat Coiro e estrelado por Kysten Ritter, Kate Bosworth e Rachel Bilson. O filme conta a história de Kim (Kysten Ritter) que vive com três amigas em Los Angeles e tenta manter a mesma vida badalada de solteira depois de engravidar "acidentalmente". Para falar a verdade assisti ao primeiro minuto do filme e voltei ao menu do Netflix. Analisei a capa, a sinopse, pensei melhor e decidi dar uma segunda chance a essa história. E não é que me surpreendi? De fato, a vida muda depois de ter filhos, independente de ser uma mãe que cria um filho (a) sozinha ou que conta com a ajuda do pai, de amigas ou da família. E não é apenas a vida que muda. A gente muda, os sonhos, os planos e as prioridades mudam. Às vezes a dificuldade é aceitar que as coisas nunca mais serão as mesmas. Conseguir se reencontrar no meio de tanta mudança e voltar a se enxergar como um ser individual e não apenas como mãe ou pai e que esse ser tem necessidades que precisam ser ouvidas também é um processo que para alguns é simples, enquanto que para outros, um longo caminho.

Em alguns casos, como no da protagonista, o desafio é descobrir que todo o resto pode esperar. É acalmar a alma e a sede por aventuras e priorizar aquele que é de fato o bem mais precioso que ganhará no mundo. Não quero contar os detalhes do filme para não estragar a surpresa. “A vida acontece” é uma comédia romântica gostosa, leve e realista. Recomendo para quem têm filhos ou para quem conhece algum amigo que tenha. Depois me conta o que você achou. Até a próxima.

*Texto publicado para o site Coisas de Cinema



Obrigada pela visita!

Postar um comentário