A primeira febre


O Benício está com 10 meses de idade já! Como o tempo passa rápido, ainda mais depois da chegada dos filhos. Ele está crescendo forte e saudável, segundo as minhas orações. Até agora não tinha tido nenhum quadro de febre ou qualquer sinal de doença. Até agora porque no fim de semana a primeira febre deu as caras por aqui e como a gente sofre junto com eles, não?! Eu não imaginava que fosse tão difícil assim. Agora entendo melhor a minha mãe que não dormia direito e ficava preocupada quando eu adoecia.

Foram três dias com a temperatura oscilando. Não tenho certeza se foi a coincidência de que os seus dentinhos estão nascendo ou se foi um resfriado mesmo. Aqui no México é outono, ao contrário do Brasil e a temperatura baixou na semana passada. Na sexta estava beeem frio, amanheceu 2 graus, de tarde esquentou: 11! E no sábado subiu para uns 20 graus. Haja saúde para tanta mudança. Acabamos saindo nos dois dias e a nossa casa é muito gelada - não quero nem pensar em ter uma casa inteira com piso de porcelanato, é muito congelante - então, ainda acho que essa mudança de temperatura ocasionou a febre, aliás desde ontem eu estou resfriada, aumentando as minhas suspeitas.

Para baixar a febre o pediatra indicou Tempra infantil a cada seis horas, mas sabe que fico meio com o pé atrás em tacar antitérmico, até porque acredito que a febre é importante para o desenvolvimento do sistema imunológico. A gente é que fica aflita e quer que ela baixe de uma vez! Acabamos dando de noite antes de dormir, pois era a hora em que a febre aumentava e o sentia mais desconfortável e nesse caso não tinha o porquê deixa-lo sofrendo com os sintomas. Nessas situações o que nos resta é manter a calma, respirar fundo e rezar. Graças a Deus, a febre foi embora, o organismo dele ganhou a batalha contra os invasores uhuu, isso parece coisa de vídeo game, eu sei. Ele segue querendo colo o tempo todo, tendo dificuldades para dormir e nem quer saber de brincar direito. O bom sinal é que o apetite está voltando ao normal! Hoje comeu um pouco melhor, deu um tímido sorriso e derreteu o meu coração.

Pesquisando na net encontrei o site Pediatria em foco, onde têm algumas informações importantes sobre a febre, o resfriado e outras cositas más. De acordo com o Dr. Roberto Cooper, não existe uma solução mágica ou uma recomendação que funcione 100%. Mas essas dicas podem ajudar e amenizar os sintomas.
  • paciência
  • oferecer líquidos, não forçar a alimentação
  • manter a criança em casa.
  • lavar ambas narinas com soro fisiológico. No mercado existem inúmeros produtos. Algumas embalagens facilitam a aplicação por produzirem um jato, mas, o conteúdo é sempre soro fisiológico. Não usar produtos para adultos que podem conter descongestionantes.
  • usar antitérmicos, caso a febre gere desconforto (na criança ou nos pais)
  • falar com seu pediatra e levar a criança para ser examinada se os pais julgarem que “algo não vai bem”, como cansaço, respiração ofegante, prostração extrema, vômitos, diarréia  etc.

E vocês mamães, como se sentem quando a febre acomete os filhotes? Em caso de resfriado, qual é a receita para que ela vá embora rapidinho? 

Até mais!