Diário de gravidez: a espera de um guri

Segunda foi dia de fazer a eco morfológica, uma ecografia detalhada onde o médico mede todas as partes do corpo do bebê, além de avaliar a placenta, o liquido amniótico e o colo do útero da mãe. Baseado nessas medições se pode ver se corre tudo bem com a gravidez e com o baby. Graças a Deus estamos bem e agora sabemos com certeza que estamos esperando um guri. Que emoção ouvir o seu coração em alto e bom som, poder ver o seu rostinho, seus pés e mãos e imaginar como ele será. Agora com 20 semanas o Benício mede 20cm e pesa cerca de 350 gramas. O danado esta sentado e agora posso confirmar que a sensação de receber alguns "chutes" na bexiga é real. Sério, eu achava que fosse maluquice minha, mas na posição que ele esta acho que possível que seja ele.

Acho que não pegaram o melhor ângulo do Benício.

Praticamente na metade do caminho já consigo diferenciar o que são gases e o que é o bebê se mexendo e ele começou a se movimentar bastante essa semana. É difícil descrever a sensação que sinto quando isso acontece. O Joaquim tem a impressão de que já sentiu de leve também. Mas em breve os chutes serão maiores e ai sim ele vai poder curtir mais esse momento. Esses dias estávamos deitados na cama, enquanto eu lia um livro em voz alta senti ele mexer, era só eu parar e o Joaquim colocar a mão na barriga que ele ficava quieto. Acho que estava brincando com a gente, só pode.
Sigo indo mais no banheiro do que nunca e parece que o frio só intensifica a vontade de fazer xixi o tempo todo. Pra ti ver como a natureza é sábia, acho que nos faz levantar de noite várias vezes porque assim começamos a nos acostumar para as primeiras semanas ou meses do bebê em casa. E o que eu sentia de enjoo antes, agora sinto de fome. Tenho a impressão de que só como, já ganhei alguns quilinhos, mas ainda estou de olho na balança para não exagerar. 
Estou olhando as dicas e decorações para quarto de guri, mas tá difícil decidir alguma coisa, principalmente no quesito berço, não sei se investimos nos tradicionais de madeira ou naqueles para viagem, de montar. Alguma mãe aí de plantão para me dar a sua opinião? Estou precisando de muitas para tomar uma decisão. Enquanto isso não acontece quero compartilhar um texto do autor
Alan Beck sobre o que é um menino. Achei lindo e bem, não sei se ter um menino é isso mesmo, mas em breve descobrirei.

O que é um menino?

Entre a inocência da infância e a compostura da maturidade há uma deliciosa criatura chamada menino. Embora se apresentem em tamanhos, pesos e cores sortidos, todos os meninos tem o mesmo credo: aproveitar cada segundo de cada minuto de todas as horas de todos os dias e protestar ruidosamente – o barulho é sua única arma – quando seu último minuto é decretado e os adultos o empacotam e metem na cama.
Meninos são encontrados em todas as partes: em cima de, embaixo de, subindo em, balançando-se no, correndo em volta de, pulando para. As mães os adoram, as meninas os odeiam, irmãos e irmãs mais velhos os suportam, adultos os ignoram, o céu os protege. Um menino é a Verdade com o rosto sujo, a Beleza com um corte no dedo, a Sabedoria com um chiclete no cabelo, a Esperança do futuro com uma rã no bolso. 
Quando você está ocupado, um menino é um conversa-fiada, intrometido e amolante. Quando você deseja que ele cause boa impressão, seu cérebro vira geléia, ou ele se transforma em uma criatura sádica e selvagem empenhada em desmontar o mundo ao seu redor.
Um menino é um híbrido: o apetite de um cavalo, a disposição de um engole-espadas, a energia de uma bomba atômica de bolso, a curiosidade de um gato, os pulmões de um ditador, a imaginação de um Júlio Verne, o retraimento de uma violeta, o entusiasmo de um bombeiro e quando se mete a fazer alguma coisa é como se tivesse cinco polegares em cada mão.

Gosta de sorvete, canivetes, serrotes, pedaços de pau, água (no seu habitat natural), bichos grandes, Papai, sábados, domingos e feriados, mangueiras de água. Não é partidário de catecismo, escolas, livros sem figuras, lições de música, colarinhos, barbeiros, meninas, agasalhos, adultos e "hora de dormir". Ninguém se levanta tão cedo, nem chega tão tarde para o jantar. Ninguém se diverte tanto com árvores, cachorros e mosquitos. Ninguém é capaz de meter num único bolso um canivete enferrujado, uma maçã comida pela metade, um metro e meio de barbante, um saco de matéria plástica, duas pastilhas de chiclete, três notas de um Real, um estilingue e um fragmento de “substância ignorada”.
Um menino é uma criatura mágica: você pode mantê-lo fora de seu escritório, mas não pode expulsá-lo de seu coração. Pode pô-lo para fora da sala de visitas mas não pode tirá-lo de sua mente. Queira ou não, ele é o seu captor, seu carcereiro, seu dono, seu patrão, uma cara sarapintado, um nanico, um mata-gatos, um pacote de encrencas. Mas quando à noite você chega em casa, com suas esperanças e seus sonhos reduzidos a pedaços, ele possui a magia de soldá-los em um segundo, pronunciando duas palavras somente: “Oi, papai”…

E então mamães e papais de meninos, é isso mesmo?
Perguntas, dicas ou sugestões? Deixe o seu comentário, ele é muito bem vindo por aqui ;)

Obrigada pela visita!

Postar um comentário