Diário de gravidez: o resultado

Surpresa. Essa foi a nossa reação quando vimos aqueles dois risquinhos rosas no teste de farmácia. Passei muito tempo da minha vida adulta tentando com sucesso não engravidar e de repente sem esperar por isso, lá estava eu pesquisando sobre gravidez no google.

 
Desde que viemos morar no México esse tema era assunto recorrente em nossas conversas, assim como as perguntas. Será que eu estava preparada para ser mãe? Será que esse era o momento ideal? E depois, como vai ser a nossa vida? Questionamentos assim pairavam em minha cabeça. Oh dúvida cruel, como decidir o momento certo de se ter um filho(a)? Sempre imaginei que não me faria essa pergunta e que simplesmente um dia eu acordaria com fogos de artifícios anunciando o desejo incontrolável em ser mãe. Ao contrário da idealização a realidade é outra. Geralmente adultos conversam e tomam decisões baseadas nas suas condições financeiras, psicológicas e planos pessoais, dentre outros itens relacionados com a vida moderna.
Analisando a nossa vida atual, é o melhor momento, então por que eu ainda não me sentia segura o suficiente? De tanto pensar nessas questões me dei conta de que eu estava buscando a resposta no futuro. Foi quando lembrei que o futuro a Deus pertence. Infinidade de coisas podem acontecer nas nossas vidas e o que realmente existe de concreto é o hoje, o presente. É ele que bem vivido ou não, te mostrará o caminho para o futuro.
De acordo com algumas pesquisas, cerca de 80% dos casais levam de 3 meses à 1 ano para conseguir engravidar. Com essa informação resolvemos começar a tentar, supondo que depois do casamento ficaríamos grávidos. Duas semanas e meia depois o exame de gravidez deu positivo. Ficamos muito felizes e igualmente surpresos. Em nenhum momento passou pela nossa mente que seria assim, tão rápido, era difícil de acreditar.

 ● O primeiro trimestre

Desde então as semanas passaram e já estou com quase 14 semanas. O tempo esta voando mais do que o imaginado, talvez porque me sinto tranquila. Nas primeiras semanas me senti diferente e meu humor oscilava bastante, acredito que pelo casamento e pela visita da família que estavam por vir. Era tanta coisa para resolver e é claro, aquele frio na barriga de ser mãe de primeira viagem. Perguntas, perguntas e perguntas. Engraçado que comecei a pensar muito nos meus país, na minha infância, nas coisas boas e nas ruins também. Isso estava me deixando angustiada e triste, por causa da falta que sinto da minha mãe, queria muito que ela estivesse vivendo isso comigo. Enfim, nessa fase os hormônios fizeram a festa. 

● Gravidez: coisas que ninguém te conta

Nesse primeiro trimestre sofri e muito com os enjoos e o cansaço. E o detalhe é que o enjoo é proporcional ao tamanho da fome. Houve dias que a vontade de chorar era grande, não conseguia comer nada além de frutas. Os sintomas eram piores pela manhã e a minha pressão baixava com frequência. Agora que entrei no segundo semestre sinto que estou melhorando, mas há alimentos que não consigo comer e só de pensar fico enjoada. O que mais como é arroz, feijão, lentilha e batata. Aqui em Monterrey não existe restaurante com buffet a kg - que saudade do Brasil - a comida mexicana não me apetece, nem taco que eu adorava comer desce, o que me resta é fazer o meu almoço e isso também dá enjoo. Engraçado que quando se fala em gravidez ninguém te fala como pode ser terrível essa fase. A impressão que tenho é que vou descobrir na marra mais coisas das quais ninguém te conta. E a gente que pensa que gravidez é mil e uma maravilhas, ledo engano, afinal estamos fabricando uma vida e isso exige muito do nosso corpo.

 ● O segundo trimestre

O segundo semestre costuma ser o melhor, a grávida fica mais disposta, em alguns casos os enjoos vão embora, em outros diminuem. A alimentação fica melhor, com mais diversidade, a barriga começa a crescer e aparecer. Estou otimista quanto a isso e um pouco ansiosa porque na semana que vem temos consulta para saber se está tudo bem o baby. Ainda não ouvimos o seu batimento, que dizem ser um momento emocionante. Quem sabe conseguimos descobrir se é uma menina ou um menino. Assim já podemos começar a comprar o enxoval com mais detalhes.

Com esse post inauguro oficialmente o tema maternidade no blog. Agora é esperar os próximos capítulos, ops, posts. E se você já é mãe ou ainda será escreva a sua experiência, dúvidas, angustias ou sugestões. Ficarei muito feliz em ler e descobrir mais sobre esse universo.

Obrigada pela visita!

Postar um comentário