As Múmias de Guanajuato



Ruas estreitas, arquitetura antiga, túneis, sobrados coloridos, igrejas e cafés fazem da atmosfera de Guanajuato uma cidade encantadora e misteriosa. É nesse lugar que encontramos um museu interessante: o Museu das Múmias. Espaço que despertou a minha curiosidade antes mesmo de chegar à cidade. Esse macabro museu foi o primeiro lugar visitado, pois geralmente as filas são grandes e para não deixar para depois, achei melhor começar por ele, que está localizado a noroeste do centro.

 

Com quase 150 anos de história, as Múmias de Guanajuato se tornaram parte da cultura mexicana e de suas tradições. Anualmente o museu recebe em torno de 100 mil visitantes e a sua popularidade se deve a obsessão dos mexicanos pela morte. Em suas salas estão expostos mais de cem corpos desenterrados do Panteón Municipal de Santa Paula, ou cemitério. Esses corpos foram encontramos casualmente em ótimo estado de decomposição e foram mumificados de forma natural, pois não passaram por nenhum processo de conservação ou embalsamento. Seu estado de mumificação é o que gera um mistério sobre as causas que levaram à sua preservação.

 

Em muitos cemitérios públicos o governo exige um pagamento para manter o corpo sepultado. Dessa forma, em 1865 o primeiro corpo exumado e encontrado em estado de mumificação foi o do médico francês Dr. Remigio Leroy, esse é o corpo mais antigo da coleção do Museu das Múmias de Guanajuato. Conforme os anos foram passando, outros corpos foram descobertos nas mesmas condições e com as mesmas características de acordo com o solo em que estavam enterrados. Inicialmente, as visitas as catacumbas do Panteón de Santa Paula, para observar os corpos mumificados, eram realizadas de maneira informal e clandestina, devido ao grande número de turistas atraídos pelo misticismo e pela curiosidade.
 


Em 2007 o velho Museu das Múmias foi redesenhado para propiciar aos visitantes uma exibição temática, com uma maior infra estrutura para melhor conservar os corpos e para receber um grande número de visitantes. A fascinação despertada pelas múmias serviu de inspiração para a realização de inúmeros filmes, inclusive com personagens da luta livre mexicana, que durante os anos 70 fizeram com que as imagens desses corpos de aparência rígida se tornassem conhecidas em outros países. Um dos filmes mais conhecidos é "Santo vs as Múmias de Guanajuato" e a sua versão completa pode ser vista no YouTube.
Na coleção de múmias encontramos corpos de crianças, bebês que mais parecem bonecos, mulheres e homens. Dentre eles, um feto considerado a menor múmia encontrada até os dias de hoje e um corpo que pela posição e expressão, indica que foi enterrado vivo. Alguns ainda vestem as mesmas roupas e sapatos com que foram sepultados. Enquanto algumas expressões são de tranquilidade, outras são de sofrimento e causam espanto. Imagens macabras e interessantes, pois podemos observar o estado da pele que parece de papelão, dos dentes, das unhas e dos pelos que continuam a crescer. Interessante é imaginar e difícil acreditar que esses corpos são de pessoas, o que me leva a pensar quem eram essas pessoas, como viveram e de que forma morreram. Depois dessa, tenho certeza de uma coisa: quero ser cremada. Guanajuato vai deixar saudades.


  Curiosidade


O diretor Tim Burton foi o homenageado no Festival Internacional de Cinema de Guanajuato em 2007 e em uma entrevista declarou que a cultura mexicana influenciou suas obras. Dizem por aí que ele se encantou tanto por Guanajuato que comprou um casa por lá. Se isso é verdade ou não, eu não sei, mas com certeza vemos o resultado desse encontro refletido em seus filmes. 

Obrigada pela visita!

Postar um comentário