A escolha do buquê

A escolha do buquê nem sempre é fácil. Eu mesma fiquei meses olhando diversas flores, cores e combinações. Quanto mais olhava, mais ficava em dúvida e consequentemente angustiada, afinal a data do casamento estava chegando e eu simplesmente não conseguia decidir. A decoração da igreja ou da festa geralmente depende da escolha do buquê, para que tenha uma harmonia entre as flores e cores. No meu caso, a igreja por si só já era linda, com folhagens e até uma trepadeira no altar. Por isso não vimos a necessidade de decoração toda a capela, até porque decoração é uma coisa que custa e muito. Ao invés de colocarmos corsages em todos os bancos, colocamos apenas nos primeiros, perto do altar e optamos por um caminho de pétalas de rosas brancas e vermelhas com alguns arranjos antes e sobre o altar.
 

Quanto ao buquê, inicialmente pensei em flores da estação, nos tons de rosa, roxo com folhas verdes. Mas isso durou pouco, logo mudei de ideia e pensei em rosas cor de rosa.
 

Mas isso também não durou muito. No final das contas, o vestido estava ficando pronto e comecei a desejar algo mais clássico, com rosas em salmão, brancas ou champagne com folhas verdes. A única coisa que já estava definido era a cor do cetim, que seria verde do mesmo tom do ramo. Depois de buscar algumas imagens, me imaginar na capela com o vestido e com o buquê, finalmente cheguei a uma decisão: rosa na cor champagne e hortênsia verde com folhas no meio e na base. A dúvida foi grande, mas amei a minha escolha. Não importa o tempo que leve o importante é estar segura quanto a escolha. Segue a foto do meu ramo e abaixo as inspirações que me levaram a essa decisão.

 

Essas foram as ultimas inspirações.


O que acharam? Se você é noiva, deixe o seu comentário sobre como está sendo o processo da escolha do buquê. Caso contrário, fale sobre qual foi a sua escolha. Vou adorar ler!

Obrigada pela visita!

Postar um comentário