Festa Construtores. Três anos do Ben

O Ben completou três anos no início do mês. Nem acredito que o guri que mau cabia nas minhas mãos quando nasceu, agora mau cabe no meu colo. Está cada dia mais esperto e lindo, em todos os sentidos. Eu sei, isso parece coisa de mãe babona e é. Se não for a gente pra lamber a cria, quem vai?

Atualmente ele adora carros, ônibus, trens, retroescavadeiras, tratores e afins. Por isso decidi usar os brinquedos dele para decorar a mesa de doces e o bolo. Tínhamos guardados cinco carrinhos da Caterpillar para presenteá-lo no momento adequado. Foi o que usamos para a decoração. Mais uma caçamba e um retroescavadeira grande.

Para comemorar essa data querida, fizemos um pequeno almoço na chácara com a família e alguns amigos. Fizemos beijinhos, negrinhos e o destaque ficou para o bolo. Poucas opções porque antes teve o almoço e porque gostamos de festas menores, simples e feita em casa. O bolo foi feito por mim! E a receita do Devil's Food Cake que tirei do livro "A receita da felicidade" da Danielle Noce estará em breve aqui no blog também. Foi a primeira vez que fiz essa receita de bolo chocolotudo.

Vamos as fotos. Modesta parte ficou tudo muito lindo e gostoso. Quem me segue no Instagram viu tudo antes :P
 


E depois dos parabéns tudo vira festa. A ansiedade em brincar foi tamanha que quase não deu tempo de tirar fotos e apagar a velinha antes que a decoração do bolo fosse para o beleléu. Ops para a mão do aniversariante.

No meu Pinterest têm mais ideias para quem quiser seguir a temática de construtores.

Até mais.

Essa tal expectativa materna que criamos

Na semana que antecedeu o natal aconteceu um fato que mexeu muito comigo. Marquei uma mini sessão de fotos para registrar o nosso segundo natal com a família completa. Conversei com o Ben, expliquei o que aconteceria - ele não gosta de tirar fotos - e partimos para a ação. Os guris tiraram uma boa soneca de tarde, estávamos todos arrumados e alimentados. Comecei a gravar um vlog e pretendia mostrar os bastidores do ensaio para ter uma linda recordação desse momento. E então, me derreteria com uma foto dos meus dois filhos juntos - e esse seria o presente perfeito para os avós e dindos. Na minha cabeça tudo seria lindo, maravilhoso e mágico. Bem essa foi a minha expectativa. Agora vamos ao que de fato aconteceu.

Chegando ao estúdio a expectativa me mostrou que na prática a teoria é outra. O Vicente ficou louco com as bolas e saiu pegando, comendo e puxando tudo, até as luzes da árvore de natal. O Ben, não sei o que aconteceu com ele, na verdade sei, agiu de uma forma que nunca age. Teve um péssimo comportamento - perante a minha idealização porque ele é só uma criança e se comportou como tal - e saiu atirando as bolas de natal pelo estúdio. Só queria literalmente tirar as fotos com a minha câmera e com a da fotógrafa. Sentar ao lado do mano para uma foto então nem pensar. Lembram que eu disse que ele não gosta de tirar fotos? Pois eu esqueci.

Na hora fiquei com raiva e magoada, com vontade de chorar. E o problema não era o tempo e o dinheiro investido e sim essa tal expectativa que colocamos nas situações, nas pessoas e nesse caso, nos filhos.

Fiquei uns dois dias frustrada com o que aconteceu. Analisando a situação, o meu comportamento e os meus sentimento. Ao final, fiquei com vergonha, não dos meu filhos que se comportaram daquela maneira, mas de mim que era a adulta e que não soube lidar com a tal expectativa criada e com a realidade, quando nada saiu conforme o planejado. Esqueci que na maternidade/paternidade nada sai como o planejado. Os nossos filhos aprendem a lidar com as situações e frustrações vendo de que forma os pais lidam com as suas. E pensar nisso doeu. As crianças são esponjas e observam tudo. Elas podem não estar olhando, mas estão ouvindo e vendo o que acontece ao seu redor. Como eu vou exigir que lidem bem quando não conseguem o que querem se eu não lido bem quando não consigo o que eu quero?

Quantos acontecimentos e até mesmo relacionamentos não dão certo por causa dessa tal expectativa que criamos em cima das pessoas, não é mesmo? E quantas vezes deixamos de viver o presente e ser feliz procurando a perfeição do que idealizamos? No fundo não é o outro que agiu da forma que você não queria e sim a sua expectativa que te iludiu diante dos fatos e da realidade. E quantas vezes não colocamos expectativas demais nos outros e nos nossos filhos? E depois ficamos pelos cantos remoendo as frustrações.
Como lidar com as expectativas? Estando presente, atentos aos nossos pensamentos e sentimentos. Não posso decidir de que forma a outra pessoa vai lidar ou reagir à determinada situação mas posso escolher como eu vou me sentir perante ela. Da próxima vez pretendo parar, dar um tempo no banheiro, respirar e pensar qual é a melhor maneira de se lidar com determinada situação e com os meus sentimentos.

Depois da sessão, fomos à um café e meu filho se comportou maravilhosamente bem - lei de murphy, talvez?
Ah e tu deve estar se perguntando como ficaram as fotos. As fotos ficaram lindas. Cada uma a sua maneira.


Organização: a chave para uma rotina mais leve e feliz

A segunda semana do ano chegou e está na hora de começar a colocar em prática o meu projeto felicidade. A primeira meta do ano é organização. Sinto que depois de ler muito sobre o tema está mais do que na hora de partir para a ação. Quero organizar a minha rotina doméstica com o intuito de ganhar tempo, otimizando os processos e parar com aquela mania de deixar tudo para depois. Quero brincar mais com os meus filhos, apreciar o meu dia, as minhas atividades e não sentir que estou carregando um fardo, entendem?

Se o dia têm exatamente 24 horas para todos, por que ficamos com a sensação de que não temos tempo para nada? Simplesmente porque não nos organizamos. Ficamos minutos e então horas ligados nas redes sociais e quando nos damos conta, fomos atropelados e ficamos apagando incêndio, tentando dar conta de tudo. 


Com frequência encontro algumas mães, principalmente no segmento blogueiras/youtubers que fazem tudo: cuidam da casa, do cachorro, do marido, do trabalho e pasmem, atualizam o blog e o YouTube quase todo o dia. Durante muito tempo fiquei me perguntando: como é que elas conseguem? 

Depois de muito refletir sobre o tema chego a seguinte conclusão: é tudo uma questão de foco, prioridade e organização. Simples assim. Sem mágica. Por exemplo, eu deixei de lado o blog e o YouTube desde que me tornei mãe - há três anos - e isso gerou angustia e cobrança interna. Até o momento em que ficou claro que com dois filhos pequenos a minha prioridade é dormir e descansar quando eles vão para a cama. Outras mães na mesma situação que eu vão para a frente do computador trabalhar. Por opção ou por necessidade. Desde então parei de comparar a minha vida com as outras pessoas e acreditem, fiquei em paz com as minhas escolhas.

Levei muito tempo para descobrir que a organização é a chave para uma rotina mais leve e feliz. Nos preocupamos em organizar a mesa de trabalho, a agenda dos filhos mas nos esquecemos das coisas simples do dia a dia.

Atualmente sou dona de casa, ou seja, faço o almoço, a janta e a limpeza da casa, além de cuidar dos pequenos. A cada quinze dias tenho ajuda de uma pessoa muito querida que vem dar uma geral na minha casa e é encarregada de passar as roupas. Pensando no meu dia a dia e nas minhas necessidades pretendo me organizar da seguinte maneira: 

Cozinha
  • Criar um cardápio semanal, pensando em alimentos ou pratos que possam ser feitos em grande quantidade e que possam ser congelados.
  • Com o cardápio em mãos, estipular um dia para fazer as compras do mercado e se for o caso da feira.
  • Separar uma hora para lavar e armazenar as frutas, verduras e vegetais. Bem como cozinhar e congelar alguns alimentos como feijão, arroz integral e lentilha.
  • Analisar a frequência com que o lixo precisa ser retirado e quem vai executar essa tarefa.
Limpeza da casa
  •  Definir o que deve ser limpo todos os dias para manter a casa mais ou menos. Neste item, é importante prestar atenção ao que te deixa feliz. Por exemplo: acordar e ver a louça lavada e o chão da cozinha limpo me faz feliz e contribui para que o meu dia comece agradável.
  • Separar a casa por cômodos e listar o mínimo de coisas que precisam ser feitas para permanecerem mais ou menos limpas e organizadas.
  • Estipular o que deve ser limpo a cada semana, quinzena ou mês, de acordo com a área. Por exemplo: geladeira, forno, vidros, balcão, armários, sofá, banheiro, etc.
  • Fazer um cronograma de limpeza por dia, semana ou mês e grudar na geladeira para que todos possam saber o que precisa ser feito e quando.
Roupas
  • Estipular um dia na semana para lavar roupa, para trocar a roupa de cama e para lavar a roupa de cama.
  • Definir um dia para passar a roupa.
Dica

Outras pessoas podem colaborar com a manutenção da casa. Neste caso encarregue cada um de uma atividade. Essa é uma ótima forma de ensinar os filhos a cuidar do que também é deles, seja através de pequenas tarefas como recolher os brinquedos, arrumar a cama, até mesmo a lavar a roupa, a louça ou ajudar com o lixo. Tudo de acordo com cada faixa etária, é claro. Aqui em casa o Ben já me ajuda com o aspirador de pó. Para ele é uma diversão. Para mim uma forma de ensina-lo a cuidar da sua casa e das suas coisas. 

Agora que escrevi de que forma pretendo me organizar com as atividades domésticas, vou fazer o meu cronograma e semana que vem volto para mostrar pra vocês como ficou e de que forma estou conseguindo coloca-lo em prática.

Não deixe de voltar ao blog porque pretendo trazer outras dicas de organização, já que esse é o tema do mês por aqui.

Até mais.

08 formas de aproveitar as férias do papai

Benza Deus! As férias chegaram. Não as minhas porque mãe não tira férias. Chegaram as do meu marido e eu já tô aqui programando uma listinha de coisas para fazer enquanto ele fica em casa com as crianças. Iupiiii. 



01. Café
Aproveite que o papai está em casa e saia para tomar um café em plena tarde. Convide uma amiga para bater papo. De preferência uma que você não vê há tempos. Se não tiver quem convidar, vá sozinha assim mesmo e se faça companhia. Leve um livro junto ou fique de ouvido ligado na conversa alheia enquanto desfruta de um delicioso frapê de café.

02. Spa
Aproveite e tire um tempinho para fazer aquele spa caprichado em casa. Tome um banho demorado, esfolie a pele, se lambuze de hidrante, faça uma hidratação capilar e passe aquela máscara para o rosto anti-stress. Só um lembrete, ligue o som para não ceder a tentação de abrir a porto da banheiro para as crianças quando elas tentarem te tirar lá a todo custo.

03. Massagem
Continuando na linha do spa que tal uma massagem relaxante para se sentir revigorada e energizada novamente? Já estou marcando a minha. Sem culpa, você merece.

04. Shopping
Dê uma volta no shopping sozinha, olhe muitas vitrines e prove muitas roupas. Só não vale estourar o cartão de crédito. Aconselho a fazer tudo isso e resistir a tentação de não comprar nada do que não precise. Parece loucura mas além de se sentir no controle você vai experimentar uma sensação de felicidade ao constatar que não precisa de nada daquilo para ser feliz. E se assim mesmo tu estiveres precisando fazer umas comprinhas, faça uma lista dos itens que precisa antes de sair de casa. A lista ajuda a não comprar mais do que de fato necessita.

05. Cinema
Assista um filme do começo ao fim. Vá ao cinema ou fique em casa, mas assista a um bom filme sem interrupções com um pote gigante de pipoca. Se as crianças estiverem em casa, sugira ao marido leva-los ao parquinho. Assim você descansa a cabeça e eles podem desfrutar de um momento apenas com o pai.

06. Exercícios
Deixe o marido dormir até tarde com as crianças e vá se exercitar. Aproveite para começar o dia com uma bela aula de yoga ou saia para correr. Tente fazer isso todos os dias pela manhã. Pode ser uma ótima oportunidade para criar uma nova rotina de exercícios.

07. Mercado
Faça uma lista do que precisa ser comprado e vá para o mercado sozinha. Fazer compras tranquilamente, ou o rancho como dizem aqui no sul, pode ser revigorante e até mesmo relaxante. Eu adoro passar por todos os corredores ouvindo uma boa música. Essa dica vale para a feira também.

08. Brincadeiras
Geralmente a rotina com os filhos é tão atribulada que não sobra tempo para desligar o telefone e sentar para brincar com eles, com a cabeça e o corpo no momento presente, correto? Então aproveite para delegar algumas funções ao maridão e brincar com os filhos sem nenhuma preocupação. Por exemplo: ele pode levar o cachorro para passear, cuidar do almoço ou da janta ou até se encarregar das roupas. O que importa aqui é ter um tempinho de verdade para voltar a ser criança.

O que acharam da minha listinha? Brincadeiras a par, as férias são uma ótima oportunidade para criar momentos agradáveis em família e porquê não tirar um tempinho para cuidar de si, sem culpa. A gente não consegue cuidar dos outros sem cuidar da gente primeiro. Seja uma mãe carinhosa, com você mesma. 

Vou ficando por aqui. Me conte nos comentários se tens mais alguma sugestão de programação para os dias de folga. Logo mais eu conto como foram as minhas "férias".

Até mais.